Uma história com a polícia 

Era uma vez…

Três jovens recém-chegados a Los Angeles, a maior cidade do estado da Califórnia e a segunda mais vasta dos Estados Unidos, que sairam de casa em busca de uma loja para comprar um GPS.

Pela primeira vez, pegaram no carro (também recém-alugado) e saíram à aventura com os mapas impressos do Google e uma boa dose de nervos  e emoção.

Claro que esta história não podia acabar bem. Umas ruas atrás das outras, travessas e calçadas, sinais atrás de sinais, semáforo após semáforo foram palmilhados por estes jovens. Não foi preciso muito para perceberem que estavam perdidos no meio da cidade. Aliás, já nem era no meio da cidade, era nos arredores. Ou algures. Aliás, em nenhures… e desesperavam por encontrar uma guiding light. Foram milhas e milhas percorridas entre ruas paralelas e perpendiculares, dignas de um Marques de Pombal megalómano a que se somou uma boa dose de desespero de causa. Afinal, já tinham passado mais de 3 horas perdidos no trânsito e os nomes das ruas repetiam-se a cada esquina: “já aqui estivémos”, “aquela não era a rua que ia dar a Melrose?”, “afinal Hollywood fica a norte ou a sul”, “ah, está ali o Valley!!!”, “é por aqui, é por aqui”, “não, não era por aqui…”, devíamos ter virado à direita ali”, vamos lá voltar… “, “tenho um feeling que é por ali”, “mas os aviões estão a voar ao contrário, afinal estamos para sul”… “Oh my God!!!!”.

Na anagnórise desta história, quando o desespero os fez abrandar num qualquer semáforo ao fim de uma interminável rua onde não habitava viv’alma, eis senão quando… um carro pára ao seu lado. Voltaram o pescoço e escassos segundos bastaram até um frenético esbracejar de braços e um brilhozinho nos olhos os tomassem de assalto: era a polícia.

Perplexos com o cenário, os dois polícias baixaram o vidro e escutaram a situação. “What are you doing here? Have you never been here before? So where are you from?”. Após o inquérito, acabaram por ligar o seu próprio GPS, tomar a guarda do caminho e escoltá-los até ao caminho directo a casa…

Ao final da noite, quando já a fome e o sono os arrebatavam, uma surpresa esperava-os ao virar de uma esquina:

A loja onde se comprava o GPS. “Isn’t it ironic, don’t you think?!”

 

“Morais” da história:

  • Nunca andar de carro numa cidade desconhecida sem um GPS
  • Não confiar em “feelings”, muito menos nos masculinos
  • Nunca andar com o depósito à justa em LA
  • Nem sempre ter a polícia à frente é mau!

MAS

  • Partir à aventura compensa, não só pela aprendizagem que nos proporciona, como pelas estrondosas emoções que nos faz sentir!

Estou a adorar!

Anúncios