Tagged: México Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • CarlaOliveira 19:29 on 04/04/2009 Permalink | Responder
    Tags: Conferência, , México, ,   

    Status da check list… 

    São agora 11 da manhã em L.A. e já actualizei uma pequena parte da check list.

    Como não me apetecia ir carregar o cartão da lavandaria, acabei por lavar a roupa em casa. Sabiam que cá não há o hábito de estender a roupa nem passar a ferro? Pois é, eis a razão porque não encontramos estendais da roupa nas varandas (usam máquinas de secar) e eis por que inventaram umas folhinhas suavizantes que não deixam que a roupa fique tão amarrotada. Senão, podem sempre escolher a roupa em chiffon, nilon ou polyester, que não precisa de ferro, LOL. Bem, a verdade é que a varanda cá de casa hoje virou “estendal improvisado”.

    Quanto à conferência de Saint Louis, parece que correu bem e que gostaram todos bastante. Sei que não tive oportunidade de vos dizer, mas fomos convidados para fazer parte deste painel da International Academy of Business Disciplines. O projecto apresentado foi sobre uma campanha de Public Affairs em Rosarito, aquela localidade no México que fomos visitar há umas semanas (cf. aqui). Claro que aproveitámos a “deixa” para explicar a visão europeia de Relações Públicas. Em breve tentarei colocar aqui a apresentação final para possam ver.

    Entretanto ainda tive tempo para começar a fazer a mala. Até agora corre tudo bem, mas quando fôr conferir o peso é que me vai dar um fanico… De repente esta casa ficou vazia. Primeiro, a partida da Mafalda, e agora, os produtos a chegar ao fim, os cabides solitários e as gavetas vazias não escondem o final deste capítulo em L.A.

    Agora tenho de ir cumprir o resto da Check List, senão fica tudo por fazer. Até já!!!!

     
    • Telma 10:02 on 05/04/2009 Permalink | Responder

      Boa viagem de regresso 😉

    • adilia oliveira 18:21 on 05/04/2009 Permalink | Responder

      Parabéns pela conferência , imagino como terá corrido…Bem ! 🙂

      E a mala se estiver pesada…vende qualquer coisa!!! 😉

      Tem muita calma e uma viagem tranquila .

      BEijito

    • Zorze 21:56 on 05/04/2009 Permalink | Responder

      Fica com uma musiquinha. Espero que gostes, gostem

      Espero que a viagem passe rapido.
      Zinhos

  • CarlaOliveira 1:20 on 10/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: , México, , Rosarito   

    Back to Obamolândia 

    Eis que estou de volta. Este fim-de-semana valeu todas as horas passadas no trânsito, todo o pó, todo o calor, todo o frio e todo o tempo de espera passado na fronteira mais agitada do mundo.

    Do outro lado encontrei um país de diferentes costumes. Uma realidade diamentralmente oposta à que ali me trouxera: um país de gente pobre, de pouca ostentação, com um grande património histórico e natural e onde a dimensão de tempo toma novos contornos.

    Ouvi de novo os passarinhos, deixei de ouvir polícia e ambulâncias de 10 em 10 minutos. De repente, passei a ouvir vozes e guitarras e banjos e baixos e pandeireitas em vez de uma voz apressada sintonizada numa qualquer frequência da rádio. De repente, as roupas deixaram de ter logotipos bordados e passaram a ter riscas coloridas, cortes largos e padrões folcróricos. As paredes deixaram de representar mascotes ou slogans para revelarem painéis de azulejos ou vitrais em tons quentes… Enfim, toda uma diferença que se sente nestas pequenas grandes coisas de um país cuja extensão desafia as barreiras da nossa percepção… Por isso não quero generalizar esta imagem a todo o México, mas fascinou-me, sim!

    O que eu vi foi Rosarito, a zona costeira oeste que se estende pelas águas do Pacífico. Algumas das vistas:

    Um muro a ser construído ao longo da fronteira com os Estados Unidos da América;
    O Cristo Redentor sobre um vale onde habita uma comunidade judaica :S 
    Um castelo murado do Al Capone;
    Os estúdios da Fox da Baja California – Xploration com TUDO (paredes, acessórios, scipts…) dos cenários do Titanic e onde já rodaram também outras grandes produções. Visitem o site, vale a pena!!! Vi um monte de cenários e truques “behind the scenes” de uma série de grandes filmes como o Pearl Harbour, Master and Commander, Xfiles, 007 Tomow Never Dies…
    O hotel Calafia, um hotel histórico muito antigo de herança religiosa onde hoje se encontram alguns dos cenários do Titanic reconstruídos e um barco para visita;
    Paisagens soberbas, praias de grande extensão e cavalos para andar pelo areal em passeio…
    Mexicanos sedentos de turistas, famintos de pesos, loucos por diversão, conversa, música… Muito enriquecedor, mesmo. Percebem perfeitamente o nosso “portunhol” e dão muito valor ao nosso esforço.
    Margaritas, tortas, tacos, nachos, lagostas, tequilhas, guacamole… Até EU fiquei fã =) 

    >> Rosarito, México <<

    Fica aqui.

     
    • adilia oliveira 17:22 on 10/03/2009 Permalink | Responder

      O conhecimento é realmente um valor a acrescentar.

      Fico contente por aproveitares e te divertires nestes dias… também queria estar aí !!!! 🙂

      E que bom ouvir os passarinhos e o trinar das guitarras 🙂
      Beijinhos e até breve… 😉

    • Carmo Mendes 18:31 on 10/03/2009 Permalink | Responder

      México…isso é que é vida hem?

      E eu a pensar que tinhas ido fazer um estágio…
      E que estarias cheia de saudades de “casa”…

      É isso mesmo …aproveita bem…vê tudo que puderes…regista…absorve…engole…sente ..e adelante..adelante…

      beijocas

      • Carlita 15:56 on 21/03/2009 Permalink | Responder

        Podes crer, amiga! Ai,ai as margaritas.. Ias gostar de estar aqui!!!

        E’ o que estou a tentar fazer: estagio + aproveitar bem o tempo + absorver cada momento e seguir em frente! Ehehh, as saudades doem, sim, mas guardo-as no bolso e penso que sao o custo da nossa ambicao. E casa ha so uma =) que e’ perto daqueles de quem mais gostamos 😉
        Um grande beijinho, obrigada por estares perto.

    • Nuno 21:14 on 15/03/2009 Permalink | Responder

      E porque não precisavas de ir ao México para ter a excelência do que estás para ouvir 😉

      EUL 🙂

  • CarlaOliveira 11:28 on 06/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: , México,   

    Andre, andre, yipa, yipa!!!!!! 

    Margaritas, sombreros, nachos, guacamole, cactos, diz-vos alguma coisa??? Pois bem, aprendi com Speedy Gonzales e vou partir daqui a correr para o México. Vemo-nos daqui a três dias.

    La cucaracha!!! La la la láaaa, la la la la la ra la láaaaa

     
    • Nuno 6:20 on 09/03/2009 Permalink | Responder

      Ixxx… esse vídeo não honra o mítico Speddy Gonzales…

      La la laaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa 😀
      (my song) :p

      Tenta este: 😀

      ou este: 😛

      e ESTE: \o

      ainda faço um vídeo a cantar isso e coloco aqui…. (NOT) 😀

  • CarlaOliveira 7:24 on 06/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: , , México, Trânsito   

    Já vos contei que… 

    … tivemos de trocar de carro umas semanas depois de o termos alugado? Pois bem, depois de um Chevrolet Cobalt branquinho como um frigorífico, eis que agora temos um Dodge Caliber. É muito giro, comporta-se bem em estrada e é fácil de manobrar, mas acho-o muito instável em velocidade  e é uma treta no arranque. Demora muito tempo a responder e a reacção nas reduções é péssima… já para não falar que consome muito mais que o Chevrolet…  O habitáculo, no entanto, é muito espaçoso e confortável, tem muitos espaços de arrumação, é compacto e não tem ruídos em andamento. Só não gosto dos encostos de cabeça porque são rijos e não têm aquele ar de quem apoia a cervical em caso de acidente. 😛

    Agora uma pequena nota sobre os carros na América.

    Se têm acompanhado esta aventura, saberão que as “grandes máquinas” são uma norma em L.A. Não só em termos de marca, como também de tamanho. Algumas conhecemo-las bem da Europa, outras têm aqui outra denominação, como por exemplo a Honda que aqui é Acura, e outras ainda não conhecia de todo, como por exemplo os “squary” Scion (segmento jovem da Toyota) e alguns modelos (alguns muito giros, mesmo no segmento dos citadinos e utilitários) que não são comercializados em Portugal [o que achei particularmente estranho (!)]. As limousines são comuns e, norma geral, o tamanho médio do chassis é substancialmente maior do que o conhecemos. Vêem-se muitos SUVs e Jeeps, bem como muitos carros desportivos, como descapotáveis. As cores são sóbrias no tamanho normal e estravagantes nos modelos desportivos. Uma realidade nada estranha, nada inesperada, como podem perceber.

    Agora umas pequenas notas sobre a condução na Califórnia

    Eu não gosto muito de carros automáticos, mas não são frequentes os carros com caixa manual para aluguer. No fundo até admito que dê mais jeito porque, como passamos tantas horas no trânsito, a caixa automática e o cruise control até acabam por fazer uma positiva diferença.

    Basicamente só gosto de conduzir na Califórnia em duas situações: com um bom GPS ou em passeio. O GPS porque com uma cidade tão grande e com tantas ruas é impossível uma pessoa recém-chegada aborver tantas referências para se poder orientar. Em passeio tudo parece mais encantador porque vamos sem stress ao sabor da nossa vontade, apreciando as ruas e as paisagens…

    Pequenos pormenores que gostei de ver, no que diz respeito ao ordenamento de tráfego, foram:

    – Sinais de trânsito para controlar a entrada dos automóveis na auto-estrada (só deixam entrar um a um em hora de ponta) para não “empanturrar” as vias;
    – Painéis electrónicos com o tempo estimado de chegada aos principais destinos;
    – Podermos virar à direita mesmo quando o sinal está vermelho (isto porque como aqui as ruas são todas perpendiculares, os que viram à direita não interferem com os sinais que estão abertos);
    – Os carpolls – que são vias onde só podem andar carros com mais de 2 pessoas e que não irão sair nas saídas seguintes. Nestas vias (a faixa da esquerda das autoestradas onde podemos ir mais depressa);
    – Os carros são uma forma de afirmação: até aí estamos todos de acordo. Agora, o que não costumamos ver com tanta frequência por terras lusas são autocolantes e matrículas personalizadas. As matrículas dizem nomes como “Big Boss” ou “Ms Megy” e têm craveiras cravejadas ou cristais swarovsky (!) e as pinturas são frequentemente adornadas com autocolantes como os do Obama com mensagens de “Hope”.
    – Gosto ainda da personalização das matrículas a cada estado dos E.U.A. Até agora a objectiva só conseguiu captar quatro (e mal!): California, Nevada, Texas e Arizona…
    – Entre outros pormenores de que não me lembro agora, mas que fazem de L.A. uma cidade muito excitante para se conduzir e onde ainda só vi um único acidente. Deve ser por haver muito espaço…

    Aqui têm um pequeno overview. Até breve!

    copia-de-dsc003261

     
c
Compose new post
j
Next post/Next comment
k
Previous post/Previous comment
r
Responder
e
Editar
o
Show/Hide comments
t
Go to top
l
Go to login
h
Show/Hide help
shift + esc
Cancelar