Tagged: Memórias Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • CarlaOliveira 18:01 on 19/03/2010 Permalink | Responder
    Tags: , Memórias   

    Comédia romântica 

    Aqui há tempos fui ver a “Bela e o Paparazzo” ao cinema e essa memória reavivou-se-me há pouco quando encontrei no meu caderno umas citações algo cómicas, algo românticas, algo dramáticas, diria, que me fizeram lembrar esse momento.

    “Tu fazes-me rir, mas ele fez-me chorar.”

    “Is it still love when he makes me cry?!” (da banda sonora que ainda não descobri qual é…)

    “Precisas de alguma coisa?! Álcool? … Um revólver?” (adoro esta!)

    “Os pinguins só ficam até Sábado.” (Meglio Stasera, baby, go go go!)

     
  • CarlaOliveira 17:45 on 16/03/2010 Permalink | Responder
    Tags: , Memórias, Sentimentos   

    Hopes and Expectations… 

    Os Muse marcam uma fase da minha vida em que sentia que a minha energia electrificante servia para iluminar. O CD ficou no meu carro. Foi ficando. Hoje rendo-me a ele com a consciência de que e é exactamente essa a memória que fica de mim – a energia electrificante. Orgulho-me de não me ter deixado ir nesse momento… Never fade away. Mesmo quando questionamos se valerá a pena.

     
    • NS 13:56 on 04/08/2010 Permalink | Responder

      Sem dúvida, electrificante e iluminadora, minha querida!

      (Até já me ocorreu ir ter uma conversa muito séria com a tua mãe para saber se em pequena a mania da adrenalida te fez enfiar os dedos na tomada eléctrica. É que é tão BOM que até custa a acreditar que se pode ser sempre assim!)

      Bjnhs 😛

  • CarlaOliveira 2:17 on 03/05/2009 Permalink | Responder
    Tags: , , Memórias, , ,   

    Ao virar da página 

    Desde que voltei de L.A. que ainda não tinha voltado ao local que dá o rosto a este espaço, ali em cima, bem no topo desta página. Como eu disse há tempos, este é um local para ir apenas nos momentos especiais, aqueles que não devem ser planeados, têm de acontecer…

    Assim foi e, mais uma vez, voltei a ser feliz nesse local mágico que dá para o Oceano e sinto que foi então que uma página se virou. Vejam o que comemos, desta vez em Portugal (mafuca, ri-te com esta 😛 )

     

    02abr09-3

    02abr09-4

    Depois de 2 meses a comer nachos na Califórnia e no México, daqueles acabadinhos de fazer, cheios de salsa, queijo e molho guacamole, eis que vou a Cascais e volto a saborear os ditos, desta vez sem o travo a “influências mexicanas” da SoCal., mas com a memória dessa temporada doida que aí vivi.

    Depois, a somar a este despertar da memória, eis que assistimos a um pôr-do-sol magnífico, daqueles que se perdem no horizonte e que deixam o sol repleto de cores quentes e deliciosas por largos minutos. Lembrei-me de novo dos sunsets da Califórnia e de repente recordei que a beleza das coisas não está nas coisas em si, mas no olhar de quem vê. Porque o olhar é muito mais do que se vÊ. É a soma disso com as memórias de tudo o que vimos e o imaginário de tudo o que queremos ver…

    02abr09

    02abr09-6

    E foi nesse local, o tal que está bem lá no topo desta página e que deu o mote ao tema deste Capítulo, que senti que se tinha virado uma página. Como num ciclo. Então, a partir da próxima semana este blog passará a chamar-se …. … …. ….

    ….

    Terão novidades em breve 😉

     
    • Tânia 16:27 on 04/05/2009 Permalink | Responder

      Bar do moinho…pois é amiga também adoro esse bar…e a esplanada tem uma vista de cortar a respiração!
      Ainda bem que estás de volta, espero que voltes a gostar de estar por terras portuguesas dentro em breve, e que essas saudades dos eua sejam ultrapassadas pelas alegrias de voltares a estar com os teus amigos! Beijokas

      • Carlita 22:31 on 09/05/2009 Permalink | Responder

        Eu não teria dito melhor, amiga… são as novas alegrias em Portugal que me fazem esquecer as saudades dos EUA. Mas nós somos um povo de saudade, não é verdade?! Ihiih
        Beijinhoss

    • Sandra Bessa 20:08 on 04/05/2009 Permalink | Responder

      Acho tudo lindo…os nachos, a festarola, o pôr do sol….mas e o nome do blog???? lanças a dica e dp matas uma pessoa de ansiedade!! LOL

      Fica bem and just be happy my friend!

      • Carlita 22:29 on 09/05/2009 Permalink | Responder

        Ohh Sandra, és sempre uma ternura ^^
        O novo nome vem “já a seguir” e as coisas lindas, os nachos, festarola e pôr-do-sol são também para pôr nossa na lista de coisas a fazer (a par com o trabalho, a tese… LOL)! Ehehh

        Beijinhos

  • CarlaOliveira 18:07 on 26/04/2009 Permalink | Responder
    Tags: Coimbra, Memórias, , Tempo   

    Fim-de-semana em Coimbra 

    No fim-de-semana passado o meu avô comemorou mais um ano de sabedoria ( 🙂 ), então fomos até “lá a cima”, como se diz aqui entre a família, comemorar a efeméride com um amocinho e um tchim-tchim. Houve tempo para cafezinho, doces conventuais, passeio e almoço à Portuguesa, que é como quem diz, de casa-cheia!!!

    Uma grande parte da minha família – tanto da parte da mãe como do pai – vive em Ribela, uma pequena aldeia de Penacova, que fica no distrito de Coimbra. Como podem ver, a aldeia é tão grande que quase se pode resumir a duas ruas: a do vale e a que sobe a encosta da serra.

    É lá que cheira a terra húmida e a fogueira e a animais do campo.. e que passa uma carrinha às 9h da manhã com um apito a anunciar que já se pode ir comprar o peixe. É uma aldeia de interior. É lá que a dimensão de tempo tem um sabor distinto – ideal para quem quer relaxar, mas desconcertante para quem já não sabe viver sem horários.  Ou pelo menos com “os horários do sol”…

    Foi portanto um fim-de-semana calmo, em família e repleto de memórias do passado. No Domingo tive o prazer de folhear os álbuns-de-família da minha tia, daqueles bem antigos cujas folhas já estão amarelecidas, que nos fazem comichões no nariz e cheiram a papel de Bíblia. Foi lá que pela primeira vez vi o meu pai com 16 anos. Pela primeira vez, vi os meus tios e os meus avós naquela idade que nós nunca nos lembramos que eles também tiveram. E eis senão quando, num dos álbuns das festas populares de Ribela, me encontro a dançar no meio da pista com o meu “vestidinho” branco e uns doces 10 ou 11 anitos (vestidinho que ainda deve andar algures lá por casa…).

    Eheeheh, foi verdadeiramente um regresso às origens!

     
    • Joao 11:54 on 27/04/2009 Permalink | Responder

      Estou mesmo a imaginar as várias horas que passaste a cumprimentar as tias, os tios, os primos…. 😉
      Horário do sol? Tu deitares-te antes das 21h? Será que o mundo sofreu uma revolução e eu não me apercebi? 😛
      Já estás tão habituada à internet, aos carros, ao barulho, à confusão da cidade e a deitares-te a altas horas que ficaste completamente desnorteada 😛
      Como se costuma dizer, é quando ficamos sem algo que nos apercebemos verdadeiramente do quanto nos afeiçoámos e o quanto custa perdê-lo.
      A nossa vida passa tão intensamente hoje em dia que já nem sabemos o que fazer quanto temos um breve momento de verdadeiro e completo descanso.
      Agora já estás de volta e de certeza que deves estar a pensar “Como me sabia bem mais uns momentos assim” ^^
      Beijinhos

      • Carlita 1:34 on 28/04/2009 Permalink | Responder

        LOL, já ganhei a fama de ser a nova Menina Variações, já percebi. Mas eu reconheço que sou um bocadinho insaciável, sim 😛

        And you’re so right… só ainda não percebi se o problema é a afeição ou a perda. É um pouco como o ovo e a galinha: não há um sem o outro, mas não existiria Outro sem o Um.

    • Telma 17:33 on 27/04/2009 Permalink | Responder

      Miga tás linda com os teus avós. A tua avó é a mãe da tua mãe? Pergunto isto porque são parecidas 😉
      Já tinhas pé para a dança e o vestidinho branco que bem que lhe fica.
      Ai o nosso Portugal tão ‘piqueno’ mas tão jeitoso.
      Gostei de saber que existe um veiculo que passa na aldeia apitando ás 9h da manhã, toca acordar!!! Olhó peixe fresquinho! 😀

      • Carlita 1:38 on 28/04/2009 Permalink | Responder

        Ohhhhh, bigada!!!!
        Sim, é do sangue da mãe =) Epah, foi tão fantástico rever-me e à minha família… Estava longe de imaginar que tais registos existissem… E comprova-se que dançar já vem de há muito, LOL. Só a saia curta é que………

    • NSilva 15:56 on 28/04/2009 Permalink | Responder

      Wowowo, quase me arriscava a fazer uma das minhas perguntas de quem acabou de aterrar aqui, vinda de somewhere not in earth (or in net) e perguntar:

      Eh, tiveste lá em cima e tiveste com uma prima q é igualzinha a ti!!!! (Bem disposta e td)

      De facto, amei a foto e o vestindinho brancoooo – já tens mote p a colecção deste Verão: vestido curto e branco: p aguçar as vistas e relaçar o bronze! É uma ordem!

      Kisses

      • Carlita 23:15 on 02/05/2009 Permalink | Responder

        LOOOOL, ai amiga, se hoje em dia EU usasse uma saia daquelas… wOWOOWOW, nem quero imaginar 😉 Mas acredita que já tenho saudades daquele bronze de manhãs na praia nas “férias grandes”. Lembras-te? Naqueles tempos em que não havia trabalho ou exames da faculdade e ficávamos 3 meses a fio em casa a curtir Verão?!
        Isso, sim, é que era “outro mundo”!

    • Zorze 0:48 on 01/05/2009 Permalink | Responder

      Estou a ver que encontra-te a solução para o teu tic-tac diário.
      Quanto ao vestido estar lá em casa não duvido, mas branco não acredito.
      Gostei de saber que existe ainda por terras do concelho de Coimbra os antigos “Azeiteiros” que como o tempo passaram a chama-los “PETROLEIRO”, e depois começaram a vender tudo e mais algumacoisa. Que saudades desse apitando ás 9h da manhã.
      zinhos

      • Carlita 23:19 on 02/05/2009 Permalink | Responder

        Oh, meu amigo, poderás matar essas saudades se fores para os lados de Ribela. Te garanto que depois de uma semaninha lá terás conhecido o senhor do peixe, a carrinha das rações, a carrinha do veterinário, a carrinha da padaria… E mais: o dlim- dlão a anunciar a missa da manhã e a da tarde e o volver das horas ao longo do dia =) … e é tão giro!

  • CarlaOliveira 21:18 on 27/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: Memórias, ,   

    One last day in L.A. 

    Quando temos o nosso tempo contado, todos os minutos se tornam importantes por terem um amargo sabor a “última vez”… e por isso desejamos torná-los especiais e memoráveis.

    Assim tentámos fazer com a despedida da Mafalda, tornar os últimos momentos uma concretização de alguns dos milhentos planos que havia por realizar. Um último hamburguer, uma última visita à piscina, um último jantar especial (sushiiiii), uma saída à noite, um passeio pedonal pela “Rota dos Souvenirs”, uma (tentativa de) foto ao pé das letras de Hollywood, um frapuccino… e até (este que já se tornou um ritual da noissa estadia na América) uma visita madrugadora ao supermercado, Ahhahah!!!

    Amanhã é o grande dia…

     
    • zorzevalente 21:48 on 30/03/2009 Permalink | Responder

      Pois é, a comer comida de plástico… aquela comida que todos nos dizem “faz mal” mas que quase toda a gente gosta. Eu diria mais, aquela comida que após a décima trinca ou menos, acabar e logo após nos dá vontade de dar um… (desculpa a expressão e o acto em si)… um arroto, ficamos logo com fome. EH EH
      Claro que depois a vontade interior faz a nossa boca desabrochar as miseráveis palavras com um accent em inglês parecido em nossa madre lingua “dia de sol” ou “mc-voa” que desgraça…
      E mais uma vez, que falta de originalidade do sr Ronald que enganou e engana os americanos e actualmente o nosso mundo. não aproveitamos os bons exemplos. Já do outro lado do Oceano Pacifico os japoneses, à cerca de 200 anos nas suas feiras e festas tinham a sua “fast food” e sem duvida que é mais saudável. Sim o sushiiii.
      Espero que tenham feito bom proveito dessas duas refeições…
      Já agora o café era bom!?! Julgo que vais sair dos USA sem encontraram um bom café!?! Um bom café de maquineta expresso.
      PS: As prendinhas da máquina do sr George Clooney e as saquetas recebidas não contam tá!

    • Carlita 3:35 on 31/03/2009 Permalink | Responder

      Quem me conhece deverá questionar-se acerca da minha presença nestes restaurantes de fast-food. Durante anos em PT recusei entrar ou sequer tolerar o cheiro a fast-food… Quando ia, era meramente para acompanhar alguém e obrigava os senhores a fazerem a salada de fresco para não a besuntarem de molhos.
      Pois é, muita coisa teve de mudar na América… Uma delas foi exactamente ter ido a restaurantes de fast-food onde já comi três hamburgueres… Definitivamente sou mais do género do “há 200 anos atrás…” porque adoro sushi!!!
      O café é ainda um sonho por concretizar. Sinceramente, cansei-me de pagar os olhos da cara e beber sempre água suja com o amargo gosto a desperdício… Rendi-me ao afamado tumbler e ao simply brewed coffee (tipo “Tall American”…). Mas não me satisfaz. Para isso, ainda tenho de esperar mais uns dias 😉

    • Telma 16:34 on 31/03/2009 Permalink | Responder

      Coragem já falta pouco! 😉 Vens pela TAP?! lol Já podias começar aí 😛

c
Compose new post
j
Next post/Next comment
k
Previous post/Previous comment
r
Responder
e
Editar
o
Show/Hide comments
t
Go to top
l
Go to login
h
Show/Hide help
shift + esc
Cancelar