Tagged: Fotos Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • CarlaOliveira 2:46 on 15/04/2009 Permalink | Responder
    Tags: , Depois, , Fotos, , ,   

    A coleccionadora de aventuras 

    Olá Amigos!

    Este post serve só para dizer: i’m back! Digo que estou de volta porque andei perdida entre angústias e amarguras inerentes a este meu regresso de L.A.. Se me perguntarem porquê, não saberei responder. Não se trata de uma questão racional, trata-se de um estado de espírito que teimava em não desaparecer e que me enevoava os dias, as coisas, a vida…

    Foi ao ponto de ter recorrido à psicoterapia de bolso. De ter recorrido à música punts punts. De me ter recolhido no sofá enrolada na manta a devorar filmes que me (e)levassem a mente para longe daqui. Um pouco como o Sá Carneiro quando pedia que o deixassem ficar debaixo dos seus cobertores a apodrecer (ai, a poesia decadentista…).Foi ao ponto de ter querido tudo o que não tinha, onde não podia ter. Todos temos destes momentos, não é verdade?!.. Mas já passou. Hoje, subitamente, entre as 18h e 21h, parece que caiu o último aguaceiro temperamental e depois de uma faixa cujo refrão cantava assim: “I don’t know what it is / That makes me feel like this… But you must be some kind of superstar / No matter where you are”. Coincidência?! Talvez. Não importa… Foi súbito e desejo que seja definitivo, nem que tenha de pôr a faixa em “repeat ad eternum” a rolar no MP3…

    Ora bem, vamos então contar o que se tem passado nestes dias… À primeira oportunidade, fui visitar o meu Atlântico à baía. Águas mais azuis e agitadas. Tão agitadas que me presentearam com um banho vindo directamente da praia para o paredão… Mas ao menos ainda tirei a barriga de misérias com as nossas delícias do mar nacionais!

    Depois, porque parar é morrer, continuei na senda do “ir conhecer coisas novas” e fui a um Restaurante indiano chamado Masala, em Cascais. Adorei e recomendo! Experimentei aquelas entradas deles com cores que fazem lembrar a chegada da Primavera – um verde pirilampo, um laranja “goa” e um vermelho-vermelhusco-vermelhão. Experimentei um caril de espinafres e um frango marinado a acompanhar com uma “cobra” indiana que era muito… suave. E comprida também, mas foi para partilhar… 😉

    Porque era época de festas, também fui com os meus pais conhecer um outro restaurante no fim-de-semana: um Restaurante argentino chamado “A Vaca Argentina” onde só se comia praticamente carne grelhada. Estava pelas costuras e o que nos valeu foi mesmo a pré-reserva. Muito giro e a comida muito apaladada. Gostei. Depois, como era Domingo e não podia deixar de ser, fomos fazer a marginal pela costa até à Praia de São Julião onde encontrámos tantas outras famílias que faziam o mesmo. Tomámos o cafezinho pascal e foi bom retomar a vista dos ares portugueses.

    Mas estes dias ainda deram para mais emoções. (E não, não estou a falar da aventura de arrumar as malas de dois meses!!!). Eis que, no âmbito do meu trabalho, fui visitar um centro comercial em construção que está a inaugurar em Loures, o Dolce Vita Tejo, e andei pelo meio de obras numa figurinha que envergonharia o meu maior amigo. LOL. Capacete na cabeça, botifarras de fazer tremer o chão, macaco, colete reflector, um espanto! Mas não há melhor para afugentar os piropos, garanto-vos.

    E porque este la-mi-ré não chega nem aos calcanhares do que têm sido estes dias, ontem ainda tive de chamar o piquete de emergência para reanimar o meu carro. Não é que o moço resolveu ter um ataque de saudades tardio e descarregou a emoção (a bateria, leia-se!). Lá tive eu que chamar o serviço de assistência em viagem. Foram excelentes comigo. O meu pai diz que é para isto que eu pago seguro (e pergunto-me eu, então para que servem os namorados?!) (Ui, que má! era só piadinha…).

    Bem, e fico-me por aqui porque a história já vai longa. Era só para vos dar um feedback that “I’m alive!”. Aproveito para vos dizer que parar é morrer e, por isso, este blog não vai parar aqui. Continuem a visitar-me porue eu vou andar por aí a coleccionar aventuras…

    Não percam os próximos episódios. Muahaahhahahah

     
    • Marisa 11:30 on 15/04/2009 Permalink | Responder

      Estou contente por estares “de volta”, por teres conseguido sair de debaixo da manta (por falar nisso, aqui em Bruxelas parece Verão :P), por teres voltado à baía de Cascais, por teres viajado através da comida para outras paragens, países, continentes.

      Gostei de te ver transfigurada em “mulher-trolha” (fica-te bem hehe) e que o capacete afasta os piropos, mas não os piolhos hahaha. Gostei de saber que o carro teve saudades tuas e de saber que conseguiste desenrascar-te da descarga emocional do pobre rodinhas. Gostei de saber que o namorado não entrou no cliché e não ajudou no problema do carro =).

      Estou contente por saber que vais manter o blog e continuar assim a dar-me feedbacks do que aí se passa. E contente por saber que começas a sentir-te em casa, embora sem te acomodares =)

      Se formos a ver, foi um post cheinho de boas notícias!

    • Rita M. 23:39 on 19/04/2009 Permalink | Responder

      Gosto da malinha ao ombro 🙂

    • Zorze 0:38 on 01/05/2009 Permalink | Responder

      1. Indiano uhh Estou a ver o jantar às voltas na cama…
      É uma boa sugestão para por na agenda gastronómica: a experimentar no Indiano e “A Vaca Argentina” tenho ouvido falar muito desse restaurante.
      Até parece que almoçaram Leitão à Bairrada onde há sempre espaço para mais um bocadito, basta aliviar um botão das calças…
      2. Quanto às visita ao Dolce Vita Tejo, até parecem que andam aos gambozinos no meio da floresta à noite, onde todos chamam por eles na tentativa de apanhar um e ao fim da noite, nos alvores do dia, todos tristes e cansados por ninguém ter apanhado um.
      3. Eu diria para empurrar o carro… mas pelos visto não foi preciso… há que proteger o corpinho para outros esforços físicos e mentais… Se não fosse assim não tínhamos desenvolvido o Telemóvel, o Seguro automóvel e claro o Reboque. Quanto à bateria 80 Euros resolvem o teu problema, já que o teu seguro paga o resto, já que é obrigatório e anual.
      4. Quando ficares sem combustível e não tiveres bateria ou saldo no telemóvel, pensa duas vezes… verás que é bom ter o apoio de alguém (já me aconteceu uma destas e eu fiquei irritado durante 30 minutos, mas lá resolvi o assunto sozinho, foi o único lesado do que aconteceu, como o único que se riu por tudo o que passei após tamanha humilhação…)
      Lembra-te podia ser muito pior 🙂

      • Carlita 23:53 on 02/05/2009 Permalink | Responder

        Podia ser pior, mas felizmente eu acredito que “Sempre há sempre alguém” (senão, lembra-te daquela vez numa certa noite, numa certa américa…. 😉 )

  • CarlaOliveira 2:59 on 29/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: Fotos, , ,   

    Bell of Friendship 

    img_0652

    O sino da amizade é um monumento histórico-cultural que representa a amizade entre a Coreia e os Estados Unidos da América. Oferecido pela República da Coreia aos E.U.A. em honra da sua aliança na Guerra da Coreia, este sino encontra-se no topo do Angels Gate Park, em San Pedro, desde 1976.

    É um sino gigaaante que pesa umas boas toneladas e encontra-se num género de pagode com 12 colunas. É tocado por martelo quatro vezes por ano (pudera!!! Nem quero imaginar a potência do som.. . Será que são pessoas que activam o martelo?!).

    A vista do topo do pagode é lindíssima. De um lado, o mar e a praia ao fundo das montanhas, do outro, a baixa de São Pedro onde se encontra o Worklport L.A. Ao meio, um horizonte marítimo de perder a cabeça onde o sol reflecte em tons de laranja rosado.

    E claro que este post não faria sentido se fosse meramente “histórico-cultural”. Quero fazer dele um pretexto para agradecer à Mafalda – que me acompanhou sempre neste tipo de maluquices [como vêem no topo deste post] por toda a sua paciência e companhia ao longo destas sete semanas em L.A.

    E não faz sentido eu falar de Amizade sem dizer a todos vós que me seguem que tenho orgulho “nisto” que nos une… Seja em Portugal, Bruxelas, Nova Iorque ou lá onde for, obrigada por estarem desse lado e por tornarem esta minha aventura tão sentida e partilhada. Tão perto de vós…

     
    • zorzevalente 23:44 on 30/03/2009 Permalink | Responder

      Que belo pagode…ou será melhor no plural. Brincadeira ou talvez não…
      Quanto ao sino Bell of Friendship, não passa de um jovem e peso leve ao pé do Tsar bell em Moscovo ou dos mais belos e ressonantes sinos (nota de baixa frequência, equivalente a um nota baixa na escala de um órgão) , são os do Japão, como é o caso do pertence ao Templo Jodo de Chiom em Kyoto
      Pergunta? Qual é as dimensões, o peso, idade dos sinos referidos?
      Zinhos.

    • adilia oliveira 10:45 on 31/03/2009 Permalink | Responder

      É lindo , sim senhor!!!!

      E tu ,como boa observadora, não deixas escapar uma oportunidade…..

      Diverte-te, ainda que com coisas sérias , que um bom lema de vida.

      Gosto de te ver feliz . Parabéns pelo teu espírito crítico e pela alegria com que vives as coisas.

      Beijinho…

    • Telma 16:20 on 31/03/2009 Permalink | Responder

      Não tens q agradecer, é um prazer, é como se estivesse também por ai a passear contigo. 😀

      Diverte-te.

      E bom regresso! Por cá te espero 😉

  • CarlaOliveira 8:50 on 25/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: Fotos, ,   

    A baixa de L.A. 

    Há tanto tempo em L.A. e ainda não tinha ido visitar a Downtown desta cidade que contém em si outras 88 cidades, quase 10 milhões de habitantes (um Portugal, leia-se) e mais de 1200 Km2 de extensão. 

    O dia tirado não chegou nem para um décimo da baixa que se estende como líquido derramado pelas ruas, parques, monumentos e edifícios magestosos. Só tivemos oportunidade de visitar um pouco da Baixa, onde se encontra o L.A. City Hall e o Civic Center.

    23032009-2

    Fomos ainda ao Business District que, como o nome indica, é o centro empresaria e financeiro de L.A. onde está o arranha céus Wells Fargo Center, conhecido como o centro da banca californiana e que tem forma de prisma.

    img_0374

    Entre os principais edifícios encontrámos ainda o First Interstate Center que é o mais alto edifício de LA e se distringue pela sua forma cilíndrica com um género de coroa no topo. Tem os seus honrosos 310m de altura e 73 andares!!! E é esta a melhor memória que guardo da Downtown – a sensação de abismo da altura e o sentimento intimidador dos arranha-céus que se empoleiram pelo ar e nos fazem contorcer o pescoço para trás deixando uma réstia de pequenez da existência.  (post sciptum: …como eu gostava de ir também a Nova Iorque…)

    23032009-361

    Vimos ainda a linha férrea (dita) mais pequena do mundo que é como que o nosso elevador da Glória, lol, e que se chama Vôo dos Anjos (na cidade dos anjos…). Nada de especial, diga-se… e estava fora de serviço.

    img_0395

    23032009-30

    O Pershing Square (o primeiro parque da cidade) deixou muito a desejar e o Grand Central Market – que é um mercado interior) tem um ar abandonado e medonho. Nestas zonas vimos uma avultada concentração de mendigos, como em qualquer outra grande cidade mas que, com o pousar do sol, se torna um pouco desconcertante para duas moças em L.A….

    23032009-19

    Atravessando a baixa encontrámos ainda ruas que, à semelhança da nossa rua do Ouro e da Prata lisboetas, se destinam exclusivamente à Joalharia, aos Brinquedos e à Arte. Vimos o Museum of Contemporary Art – MOCA e o Walt Disney Concert Hall onde a nossa Mariza actuou na passada Quarta-feira, dia 18.

    img_0361

    23032009-6

    Como sempre tive uma estranha veia cosmopolita, adorei conhecer a Downtown. Estranhei imenso a ausência de carros às 4pm, mas gostei do facto de não nos terem cobrado os 16 dólares de parque por sermos “regulars” <great excuse>. Vá-se lá saber o que passou na cabeça do senhor por nos ter feito esta feita, mas a verdade é que soube mesmo bem!!!

    No entanto, no ar ficou a saudade da minha Lisboa… Falta-lhe a imponência, mas supera na personalidade e naquela aura que nós tão bem conhecemos da menina e moça, tão linda

     
    • Zorze 23:12 on 25/03/2009 Permalink | Responder

      Vai umas breves palavras aos Tug-anjos de LA.
      “…como eu gostava de ir também a Nova Iorque…” e porque não … a mulher sonha… os anjos querem… a viagem nasce.” : )
      Deve ser qualquer coisa assim!!!
      Quanto a Lisboa é grande e imponente pela sua história de mil e alguns anos… que a torna única e que podemos testemunhar nos livros, nos seus monumentos – desde a Lisboa romana, passando pela Lisboa mourisca até à capital de um vasto império. Seja no Castelo, onde tudo começou, ou na zona monumental de Belém onde se encontram os maiores ícones da cidade – Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém.
      Lemba-te foi o cais de partida para a maior aventura do seculo XV e XVI, os Descobrimentos, deixando um grande legado à Humanidade. O Mundo, a aldeia global que hoje conhecemos.
      É uma cidade que não esquece as suas tradições e as vive com orgulho, falo do fado e das festas populares de Lisboa.
      Os Americanos contentem-se por enquanto com costumes!!!! e claro com o Dó…lar da maior economia?!?
      Pergunta
      Quanto dinheiro foi gasto no L.A. City Hall, e para que?
      Ajuda!!! esta é facil… a resposta está no local e na História.
      Zinhos

    • Carlita 4:53 on 30/03/2009 Permalink | Responder

      Este comentário merecia ser um post 😉 Bela descrição de Lisboa, de “quem” já tenho tantas saudades. E sim, Nova Iorque vai continuar no plano dos sonhos a concretizar, sem dúvida!!!

      Quanto ao L.A. City Hall, fiquei curiosa e investiguei melhor a História a sua reconstrução. É realmente um bom reflexo da forma como o pretensiosismo americano de ser “o maior X”, “o mais Y” ou “o melhor Z” acaba por revelar-se uma estravagância que desafia os limites da sensatez e do razoável…

    • zorzevalente 22:13 on 30/03/2009 Permalink | Responder

      Todos nós devemos ter orgulho em nós em Portugal, porque não ficamos a dever nada aos outros países pelo contrario…
      Mas Portugal não é só Lisboa, são todas as cidades, vilas, aldeias, que nos diferenciam culturalmente dos outros países incluindo o nosso vezinho.
      Como não temos petróleo ou matérias primas para vender, temos que vender a nossa imagem lá fora e ganhar uns trocos com o que de melhor temos em Portugal. É exemplo a história o turismo, a comida, o doces, o vinho, … e … e … ETC. Quem sabe os nossos filhos terão um futuro mais risonho e em vez de umas moedinhas passamos a ter umas notas.
      Só depende de nós e de pequenas atitudes com esta.
      Zinhos

    • zorzevalente 22:22 on 30/03/2009 Permalink | Responder

      PS: Que fuzo é que estás a utilizar?
      porque cinco e menos picos é obra.
      Até eu fico com X,Y,Z. Eh Eh
      Juizinho… como diz a minha avó

      • Carlita 7:59 on 31/03/2009 Permalink | Responder

        LOL, estou com o fuso de Portugal no blog, mas estou em Los Angeles, por isso são 8 horas de diferença… Na verdade não eram 4:53, mas 00:53 em Los Angeles 😛 Ihihih

  • CarlaOliveira 18:41 on 22/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: Fotos, ,   

    Depois de Palm Springs 

    Pronto, pronto, cá está o feedback de Palm Springs cozinhado em modo expresso!!!

    Sábado fomos visitar Palm Springs que é uma cidade a cerca de 200 Km de Los Angeles conhecida por ter sido habitada por comunidades de Índios. Hoje, ainda encontramos alguns vestígios da ocupação índia nesta cidade, mas a fama de Palm Springs prende-se mais com os destinos de Resorts de Luxo e Golf.

    Como poderão ver pelas fotografias, Palm Springs tem um clima desértico, com areia, cactos e ventos fortes, mas fica no enclave de montanhas que geram uma espécie de microclima de sol e calor, com uma leve brisa… No entanto, quando olhamos para as montanhas que nos ladeiam, podemos ver neve. Fantástico, não?! Estar no deserto e ver neve ao redor, ahahah. Fascinante. Só me assustou mesmo o caminho para lá em que os ventos eram tão fortes que o carro dançava sem controlo na estrada. Mas gostei do facto de, na entrada para o enclave “Palm Springuiano” ter visto DUAS ROTUNDAS!!! Como aqui é tudo tão grande, vasto e a direito, não existem rotundas como em Portugal!

    Sobre a cidade, são umas quantas avenidas “equadrinhadas” (em grelha 😛 ) com imensas lojinhas, casas, cafés, bares, theatres e palm threes, claro!

    Só para que conste, Palm Springs tem o desenvolvimento que hoje lhe conhecemos graças ao investimento em linhas férreas por volta de 1800-e-troca-o-passo naquela época da “febre das linhas férreas” para ligar os vários estados da América, sabem? Um investimento incalculável dada a vastidão imensa destas terras… Não admira que tenham tentado trocar o ferro pela madeira para os carris…

    Aqui fica um registo visual para vocÊs. Para saciar ficou a vontade de assistir a um Pow-wow, aqueles eventos dos índios nativos com danças e músicas como vemos nos velhos westerns…

    Beijinhos

    PS – Algumas fotos são dedicadas a alguns de vós que “encontrei” em cafés e achei piada 😛

     
    • rita 19:17 on 23/03/2009 Permalink | Responder

      Muitoo bem dona Carla, muito bem! Adorei as fotos! Agora só falta o post de venice beach eheheh
      vamos lá!!!! dormir é prás crianças! 😉 beijinhos

    • aristides oliveira 22:44 on 23/03/2009 Permalink | Responder

      Gostei muito ! Mas a forma como nos transmites as tuas emoções, não só nos deliciam ,como a mim, por vezes , me deixam arrepiada !

      E … olha que…….é preciso dormir , sim!!! 😉

      Beijinhos

    • mafalda 9:01 on 24/03/2009 Permalink | Responder

      eu definia aqui muito bem Palm Springs…mas é uma definição muito à Pedro…e tem de ficar entre nós!!!jajajajaja como diz o outro

    • rita 22:04 on 24/03/2009 Permalink | Responder

      uma outra visão de los angeles (por um nova iorquino – dá um desconto táaaa= 🙂 http://www.jasonmulgrew.com/main/2008/07/24/thoughts-after-living-in-los-angeles-for-two-months/

  • CarlaOliveira 14:39 on 01/02/2009 Permalink | Responder
    Tags: , Fotos,   

    Jantar de Desp.. “Vou-ali-e-já-venho” 

    Chamar “Despedida” ao mote deste jantar seria uma hipérbole. Despedida? , mas qual despedida? Eu vou só ali e já venho!!! 😉  No fundo eu só queria um pretexto para me divertir com os meus amigos e sair de casa ao fim de uma semana na cama…  com a minha amiga “faringo-amigda-laring-otite-ladite Aguda”.

    Foi numa noite chuvosa (ahahah, aposto que alguém se lembrou de um fadunxo neste momento que seguia assim: “-meu amor que deixasti, fiquei ai tã chorosa com a carta que me mandaaaaaaaaaaassti”). Mesa cheia, o prato nem tanto, copos frutados e boa disposição foram a ementa deste jantar que prosseguiu animadamente pela noite adentro ao som do rock dos anos 80. (anos de boa colheita!).

    Só me resta agradecer, mais uma vez, a todos os presentes. Este vai ser, sem dúvida, mais um daqueles momentos de que irei sentir falta em LA. Sim, eu sei que serão só umas semaninhas, mas umas semaninhas bastam para sentir a falta dos que são realmente importantes para nós. E ainda mais da forma como nos fazem sentir…

    Obrigada. Espero que tenham gostado TANTO quanto eu.

    (PS- Vão mesmo celebrar a minha ausência nestas semanas?! ….E queriam que eu ficasse triste com isso??? Pfff, tsk tsk, isso seria sinal de que SENTEM efectivamente a minha ausência, certo?). (Ver as ameaças como oportunidades, right?!). (Ok, tenho de deixar de escrever tantos apartes).[😉].

     

    Para o painel de cortiça:

     
    • Mónia Torres 21:03 on 02/02/2009 Permalink | Responder

      Carlinha, ainda não partiste… but I already miss you my dear friend!!!!
      Prometo estar contigo ao longo desta tua jornada, que apesar de breve, será de certo intensa!!!
      Sabes que estou super contente por ti….
      Go foward girly girly!!!!
      Bjocas da tua pequenina

    • Carlita 21:49 on 02/02/2009 Permalink | Responder

      Oh minha linda!!!! Muito obrigada pela tua visita. É SEMPRE para mim um prazer receber-te!

      Um grande, grande beijinho e quero ver-te por aqui 😉

      PS – Não esqueças os “recados” que te encomendei para a minha “distância” (não digo ausência porque são coisas beeeem diferentes).

    • Telma 17:48 on 03/02/2009 Permalink | Responder

      Ver as ameaças como oportunidades! ahahah lindo! gostei.

      VAI-TE EMBORA! VAI-TE EMBORA! :p booooo!

  • CarlaOliveira 16:27 on 30/01/2009 Permalink | Responder
    Tags: Fotos, ,   

    A capa deste capítulo 

    À primeira vista, a imagem do cabeçalho deste blogue pode parecer uma daquelas que vêm predefinidas nos temas do WordPress e que basta Gostar >> Seleccionar e dar “OK”!

    Desenganem-se…

    Convido-vos a olhar de novo. Aliás, convido-vos a Ver. Vá, olhem de mais perto e apreciem…

    Fantástico, hein?! E o melhor de tudo é que é real =)

    Alguns de vós – não muitos –  já estiveram comigo nesse lugar encantado. É um dos que guardo na minha memória dessa terra onde, à maneira do Malato, já fui muito feliz!

    Fica bem pertinho do sítio onde moro e é, sem dúvida, um lugar onde gosto de ir de vez em quando. Sim! Só de vez em quando porque as coisas especiais não podem tornar-se corriqueiras sob pena de perderem a sua aura… Entre o mar e a serra, entre o azul e o verde, a maresia e as flores, água e terra, o solo e o abismo… respiramos fundo e sentimos aquela energia entrar, deixando uma réstia de calma e levando consigo os medos e as angústias. É bom para meditar, sim…

    Uma amiga minha disse-me há dias: “Carlita, se queres um conselho, visita um sítio especial antes de ires embora. Fica lá a contemplá-lo e guarda uma memória fotográfica desse local. Não imaginas quão bom será depois recordá-lo quando tiveres saudades“.

    Amiga, já está. Por motivos que tu tão bem conheces ainda não pude lá ir pessoalmente dar um último olhar, mas é esta a memória que levo comigo. Melhor do que isso, é com ela que abro este capítulo da minha vida e é ela que me acompanhará nesta aventura por terras de outros mares e outras serras, mais distantes.

    Deixo-vos com mais umas imagens deste local (sim, sim, eu sei, preciso de experimentar as funcionalidades do blogue antes de partir) e uma música que é impossível não me ecoar quando falo em “Lugares Encantados“.

    Até mais.

     
    • Telma 17:24 on 03/02/2009 Permalink | Responder

      Não vai a Carla ao Moinho vai o Moinho à Carla.

      E tudo aquilo que não for a ti, fecha os olhos e recorda, sorri, logo logo estás aqui 😉

      LA vai deixar saudades e o bichinho de viajar muito!

      MÓZAAAMBIQUÊ here we gooo!

      Kisses for the CSI LA, há?! lol passa haver 😛

c
Compose new post
j
Next post/Next comment
k
Previous post/Previous comment
r
Responder
e
Editar
o
Show/Hide comments
t
Go to top
l
Go to login
h
Show/Hide help
shift + esc
Cancelar