Tagged: Eat Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • CarlaOliveira 13:51 on 21/04/2009 Permalink | Responder
    Tags: , Cuba, , Eat,   

    Mojito Compay – o bar cubano no coração alfacinha 

    E porque o espírito se mantém internacional, eis que o reencontro da YMT, i.e. “o grupinho da Nova”, teve lugar num bar Cubano em pleno coração de Lisboa, no Bairro Alto.

    Após mais de 2 meses de separação (e de uma meia hora em pleno stress a galgar passeios no Chiado para tentar estacionar o carro), reencontrei as minhas amigas Nélia e Sofia! Claro que ainda falta a Marisa que anda por outras paragens bruxelenses, mas nem por isso faltou a animação… e a lembrança 😉

    Pois é, depois da Índia e da Argentina do fim-de-semana passado, agora “fui até Cuba” no Mojito Compay. Gostei muito do ambiente e do espaço. Um senhor muito castiço com cara de avô esmerava-se por fazer as honras da casa onde reencontrei a madeira massiça e as cores garridas com que já tinha convivido no México. Uma decoração muito característica e um espaço muito acolhedor que despertava o ritmo das ancas mais preguiçosas. Ihihih.

    Fazendo uso das palavras deste site, eis que descubro que fomos no dia errado! Parece que há encontros de Salsa às Segundas-feiras neste mesmo bar. E parece-me também que na próxima Segunda-feira não vai haver posts nocturnos para ninguém 😛 Eheheh

    E pronto. Deixo-vos com um pequeno registo “móvel” das meninas portuguesas, dos tacos cubanos e do gostinho a amizade sem fronteiras (yah yah, lamechas..)

    Mojito Compay
    Tasca Cubana
    Travessa da Queimada, nº4
    1200-365 Lisboa
    Tel. +351 213465792
    Localizado no Bairro Alto, parte antiga da cidade de Lisboa, com a sua mistura ecléctica de estabelecimentos da noite e das gentes que os frequentam, o Mojito é um bar acolhedor e uma óptima aposta para uma noite de convívio salseiro! Com uma belíssima decoração em cores quentes, iluminação difusa, e pinturas com motivos latinos nas paredes, este bar passa predominantemente, salsa, merengue e bachata. Embora seja um bar, há sempre quem dance, e a gerênca aprecia a presença de salseiros, num ambiente sempre de muita descontração e liberdade. Encontra-se aberto todos os dias, das 18h às 2 da manhã.
     
    • NSilva 15:41 on 22/04/2009 Permalink | Responder

      Ahhhhh, um saltinho a Cuba aqui, um pulinho a LA acolá, uma passagem p Bruxelas e um copo em LX – este é o ano das viagens.

      Minhas caras, Salsa numa destas 2ª fs parece-me um excelente programa!

      E o taco (?) e a companhia forma tão deliciosos que ao 3º parágrafo ainda n refilei p causa das fotos 🙂

    • Marisa 18:00 on 22/04/2009 Permalink | Responder

      Minhas queridas,

      Venham ter comigo que eu mostro-lhes os melhores restaurantes. Querem comida típica belga, com estufados em cerveja ou jambonaude em mostarda? Ou comida chinesa ultra-fashion? Ou ainda Cuba, com fajitas, guacamole e tudo a que temos direito? É só marcarem voo, minhas queridas…

      E garanto a gaufre/wafle para a sobremesa!

    • Inês 0:04 on 28/04/2009 Permalink | Responder

      Brutal, eu costumo ir a esse bar dançar com os meus colegas da salsa!! 😉
      Beijinhos

      • Carlita 22:40 on 02/05/2009 Permalink | Responder

        A sério??? Ena pah, temos de combinar ir lá um dia.. e não querendo abusar, para além de me aturares podias dar-me umas lições, eheheh

        Beijinhos!!!

    • Zorze 0:23 on 01/05/2009 Permalink | Responder

      Ai o estômago mais uma vez… Ai os quadris… estou a ver que desta vez a cama foi boa conselheira na manhã seguinte.
      Como podes ver actualmente vivemos num mundo global onde existe boas “imitações” dos locais que nos deixam boas recordações.
      Quanto ao cometarios, são uma verdadeira ternura de tortura…
      Euros e Euros venham eles que o avião levanta vou. 🙂
      um grande abraço

    • Zorze 0:53 on 01/05/2009 Permalink | Responder

      Para mim pode ser um pastel de Tentugal…uhhh dois…
      E para finalizar um terceiro.
      Seus guloso. Eu incluido claro.

    • Bruno Amaral 12:55 on 02/05/2009 Permalink | Responder

      tenho de ir investigar o bar 🙂

      • Carlita 22:38 on 02/05/2009 Permalink | Responder

        Olhó Bruno!!! =)

        Vai, vai! Principalmente numa das noites de Salsa… Ou podemos combinar um jantarinho com a malta e ir lá depois! Era casa-cheia!!!

  • CarlaOliveira 11:53 on 01/04/2009 Permalink | Responder
    Tags: Eat,   

    Lasanha de Beringela à moda da Maria 

    NOTA: Este post foi encomendado pela Rita! Cá vai…

    Porque a imaginação é a maior amiga da culinária, cá vai mais uma receita à moda do desenrasca 😛 A ideia foi da Mafalda (por extensão da irmã, lol) e depois foi só inventar um bocado…

    O truque é fazer um bom refogado, com alho, cebola, cenoura, tomate, pimento e azeite e no fim juntar tofu esmagado e cogumelos laminados e deixar a apurar ao lume com os temperos. Já temos o conduto.

    Para montar a lasanha cortamos a beringela às fatias finas pelo comprimento. Depois é ir dispondo o refogado, queijo ralado e uma camada de fatias de beringela em substituição das placas de lasanha. Refogado, queijo e beringela até ao fim… Não fiz bechamel porque a ideia era ser pouco calórico, mas imagino que jogue bem…

    Depois vai ao forno para cozinhar a beringela e no fim muda-se para o modo de gratinar. Serve-se numa mesa com boa companhia 😉 img_0452

    Duas notas sobre a beringela:

    Sabiam beringela aqui se chama “Egg Plant”?? Será por a beringela  ter forma de ovo??? Ahahah (not!).

    Da primeira vez que comprámos beringela no supermercado eram pequeninas e enrugadas e custaram a módica quantia de 12 USD. Desta vez fomos a uma mercearia mexicana, eram grandes e reluzentes e custaram-nos 3,20 USD. Fantástico, hein?!

     
    • adilia oliveira 15:03 on 01/04/2009 Permalink | Responder

      A beringela é uma planta fantástica!!!! para uns 12USD para outros 3,20. E ainda…..faz baixar o colesterol… 🙂

      Boa receita! E depois um geladinho de fruta 😉

      Um grande beijinho e uma dose de inspiração

      Até breve 🙂

    • Hugo Garcia 21:45 on 01/04/2009 Permalink | Responder

      Carla, tu, grande mulher.

      Vou Às estatisticas do meu blog e só vejo brasil, africa do sul e depois USA california LA.

      Em portugal alguém lá foi do Porto. Dos meus amigos tu és a pessoa que vai ao meu blog.

      As outras 12 pessoas por dia são desconhecidos

      • Carlita 6:48 on 05/04/2009 Permalink | Responder

        Oooops, apanhada!!!! 😛
        Eheheh, é com todo o gosto que lá vou, Hugo, e só pelo teu comentário acho que vou lá já-a-seguir 😉
        Não sabia que o Blogspot tinha um report tão detalhado! Pelo que pesquisei do meu (mas não atv no wordpress) só tenho visitas de US e Portugal (só Lx). Tenho de me internacionalizar..

    • NSilva 14:07 on 02/04/2009 Permalink | Responder

      Carla, grande mulher, além de ires ao blog do teu amigo assiduamente, ainda q a curtir LA à grande, de fazeres todos aqueles milhares de coisas depressa, bem e com aquele toque… ahh… mimoso (conheces???), de cozinhares estupidamente bem e com elegância, ainda consegues dar a receita?!!! Só tu. Vou seguir a dica!

      Bjs

    • zorzevalente 3:42 on 03/04/2009 Permalink | Responder

      Uma verdadeira “Tappa”. Espero que tenha sido bem regada.

      Zinhos

      • Carlita 6:25 on 05/04/2009 Permalink | Responder

        Claro! O nosso californiano preferido: Charles Chaw. Há em tinto, branco e rosé, consoante o gosto. Hihih

  • CarlaOliveira 1:20 on 10/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: Eat, , , Rosarito   

    Back to Obamolândia 

    Eis que estou de volta. Este fim-de-semana valeu todas as horas passadas no trânsito, todo o pó, todo o calor, todo o frio e todo o tempo de espera passado na fronteira mais agitada do mundo.

    Do outro lado encontrei um país de diferentes costumes. Uma realidade diamentralmente oposta à que ali me trouxera: um país de gente pobre, de pouca ostentação, com um grande património histórico e natural e onde a dimensão de tempo toma novos contornos.

    Ouvi de novo os passarinhos, deixei de ouvir polícia e ambulâncias de 10 em 10 minutos. De repente, passei a ouvir vozes e guitarras e banjos e baixos e pandeireitas em vez de uma voz apressada sintonizada numa qualquer frequência da rádio. De repente, as roupas deixaram de ter logotipos bordados e passaram a ter riscas coloridas, cortes largos e padrões folcróricos. As paredes deixaram de representar mascotes ou slogans para revelarem painéis de azulejos ou vitrais em tons quentes… Enfim, toda uma diferença que se sente nestas pequenas grandes coisas de um país cuja extensão desafia as barreiras da nossa percepção… Por isso não quero generalizar esta imagem a todo o México, mas fascinou-me, sim!

    O que eu vi foi Rosarito, a zona costeira oeste que se estende pelas águas do Pacífico. Algumas das vistas:

    Um muro a ser construído ao longo da fronteira com os Estados Unidos da América;
    O Cristo Redentor sobre um vale onde habita uma comunidade judaica :S 
    Um castelo murado do Al Capone;
    Os estúdios da Fox da Baja California – Xploration com TUDO (paredes, acessórios, scipts…) dos cenários do Titanic e onde já rodaram também outras grandes produções. Visitem o site, vale a pena!!! Vi um monte de cenários e truques “behind the scenes” de uma série de grandes filmes como o Pearl Harbour, Master and Commander, Xfiles, 007 Tomow Never Dies…
    O hotel Calafia, um hotel histórico muito antigo de herança religiosa onde hoje se encontram alguns dos cenários do Titanic reconstruídos e um barco para visita;
    Paisagens soberbas, praias de grande extensão e cavalos para andar pelo areal em passeio…
    Mexicanos sedentos de turistas, famintos de pesos, loucos por diversão, conversa, música… Muito enriquecedor, mesmo. Percebem perfeitamente o nosso “portunhol” e dão muito valor ao nosso esforço.
    Margaritas, tortas, tacos, nachos, lagostas, tequilhas, guacamole… Até EU fiquei fã =) 

    >> Rosarito, México <<

    Fica aqui.

     
    • adilia oliveira 17:22 on 10/03/2009 Permalink | Responder

      O conhecimento é realmente um valor a acrescentar.

      Fico contente por aproveitares e te divertires nestes dias… também queria estar aí !!!! 🙂

      E que bom ouvir os passarinhos e o trinar das guitarras 🙂
      Beijinhos e até breve… 😉

    • Carmo Mendes 18:31 on 10/03/2009 Permalink | Responder

      México…isso é que é vida hem?

      E eu a pensar que tinhas ido fazer um estágio…
      E que estarias cheia de saudades de “casa”…

      É isso mesmo …aproveita bem…vê tudo que puderes…regista…absorve…engole…sente ..e adelante..adelante…

      beijocas

      • Carlita 15:56 on 21/03/2009 Permalink | Responder

        Podes crer, amiga! Ai,ai as margaritas.. Ias gostar de estar aqui!!!

        E’ o que estou a tentar fazer: estagio + aproveitar bem o tempo + absorver cada momento e seguir em frente! Ehehh, as saudades doem, sim, mas guardo-as no bolso e penso que sao o custo da nossa ambicao. E casa ha so uma =) que e’ perto daqueles de quem mais gostamos 😉
        Um grande beijinho, obrigada por estares perto.

    • Nuno 21:14 on 15/03/2009 Permalink | Responder

      E porque não precisavas de ir ao México para ter a excelência do que estás para ouvir 😉

      EUL 🙂

  • CarlaOliveira 17:38 on 03/03/2009 Permalink | Responder
    Tags: Donut Hole, Eat, ,   

    Hey, give me my hole back!!! 

    Porque aqui é hora do pequeno-almoço, aqui fica um apetiser para um breakfast à americana: o Donut Hole.

    Lembram-se da minha primeira descrição da América? Em que eu dizia que os edifícios reflectiam arquitectonicamente a sua função e exaltavam a sua identidade? Pois bem, cá está o maior dos exemplos disso: o drive-thru Donut Hole que devem conhecer dos filmes e da TV.

    Eu ia escrever sobre o que vi, mas encontrei uma descrição brutal no cityguide.com. O texto até reflecte um dos aspectos que eu achei particularmente curioso: o facto de este drive-thru ter uma Clinica Dentária mesmo ao lado, ahahh 😉

    Vernacular architecture is found the world over, but giant buildings that look like the things they sell have a special place in Southern California. It is no coincidence that massive food-shaped shops started opening around the time Angelenos fell in love with their cars, making the 1950s and ’60s a heyday for these culinary wonders of the open road. One of the grandest dames still left in the SoCal region is The Donut Hole, founded in 1968, which takes the concept of “donut hole” to staggering new heights (and widths). This La Puente landmark is actually two colossal donuts with holes big enough to fit a Honda, or pretty much any other vehicle. But these chocolate-hued beauties aren’t for snacking on; rather, they’re big fiberglass rings with “It’s The Quality” painted on top of each. Primarily a drive-thru (although there is a walk-up window to one side), The Donut Hole has signs instructing butter-craving drivers to head into one end of the donut-shaped tube, where they place their orders at a window located on the left (to the right of is a room packed with donut-making machinery). Drivers must exit the Donut Hole before beginning their sugary feast (there is a bit of street parking along the walk-up window side of the building). Ask for extra napkins before departing the Hole — the raspberry-filled disc oozes with jelly goodness, while the ultra sticky glazed makes an ideal choice with the sun-hot coffee. Fortuitously, The Donut Hole is located right next to a dental center, should your sweet tooth get the better of you.

    Fica aqui.
     
  • CarlaOliveira 6:42 on 22/02/2009 Permalink | Responder
    Tags: Eat,   

    No more “instant-something” 

    Pois é! E eis que me cansei cultura do instantâneo. Convoquei o Ponto Final para um jantar cá em casa e inaugurámos o protesto ao “ready-made”.

    – Morra o Ready-made, morra! PIM!
    – Se o Ready-made é Americano, eu quero ser Português. Morra o Ready-made, morra!!!

     

    … Então a lição para o dia de hoje vai ser “Como fazer sopa quando não se tem varinha mágica em casa“.

    A regra número um é ter uma máquina de batidos.

    A regra número dois é (obviamente), ter um avental.

    A regra número três é ter uma boa dose de paciência,. persistência e criatividade.

    Finalmente, uma esponja e um pano irão dar também muito jeito… Ah, se puderem ter uns legumes, tanto melhor 😉 Eheheh. A nossa sopa foi feita com curgete (que aqui são em tamanho XS), cenoura, cebola e espinafres. Água, sal e um nadinha de azeite. E digo-vos, soube pela vida!!! Por momentos senti-me em casa e com uma reconfortante memória da sopa da mamã! …e foi tão bom estar perto em sentidos…

    Créditos:

    Este post foi escrito em memória dos bons tempos de gastronomia portuguesa e em homenagem à minha minha mãe =) Fica também um pedido de desculpas a  Almada Negreiros, mas estava em desespero de causa e tive de me “Manifestar” também…  
    Este post não pretendia também ferir susceptibilidade da D. Gastronmia Americana, espero não vir a ser processada!!! Ahahah. E já agora, fiquem com este momento de glória (Nuno, esta é para ti!!! =D )
     
    • Nuno 13:13 on 24/02/2009 Permalink | Responder

      sopa de espinafres,
      sopa de CENOURA!
      sopa de feijão,
      sopa de TOMATE!
      sopa de cebola,
      SOPA DE AGRIÃO!!!!! 😀

      E depois de uma bela sopa… que tal um PEIXINHO GRELHADO??

      Tal como diz o Egas: “É muito fácil!” 😉

    • Nuno 13:16 on 24/02/2009 Permalink | Responder

      Três vivas para o Capitão Vegetal!!!!!!!!!! TRINCAR TRINCAR TRINCAR!!! 😀

    • Telma 13:27 on 24/02/2009 Permalink | Responder

      argh sopa que porcaria! 😛

  • CarlaOliveira 7:53 on 18/02/2009 Permalink | Responder
    Tags: , Eat, , ,   

    Há 10 dias em LA 

    Um “pequeno” pormenor que me escapou ontem: pensava que as lojas estavam em saldo por ser fim de estação, tipo saldos, mas enganei-me. Então não é que a comemoração do President’s Day que ontem me escapou na verdade se reflecte em… PROMOÇÕES NAS LOJAS????? Hoje é que reparei nos anuncios “Preço Especial The President’s Day”! Ok, this is America…

    Sobre o estágio, comecei hoje a jornada… Trabalho mesmo em frente ao edifício da Paramount Pictures onde já tinha estado com a Mafalda e o Pedro. É uma empresa que desenvolve campanhas em TI’s, como Internet, Email e Mobile para a área de Entretenimento (Film Industry, principalmente).

    Quem me levou à empresa foi a Mafalda numa experiência inédita de condução feminina em LA onde nem o GPS resolveu ajudar pois não se “conectou” durante quase toda a viagem. Mas claro que as meninas se “desenrascaram” sem dramas 😉

    À noite, a Mafalda e o Pedro foram buscar-me e fomos de Beverly Hills até West Hollywood onde visitámos um bar/restaurante Mexicano. Burritos, tacos e molho Guacamole fizeram parte do menú, a completar o ambiente sonoro e animado das milhentas mesas repletas de good looking guys e muitos empregados simpáticos (que são a norma em LA) (aliás, não fosse a norma também somar uma percentagem de gorjeta ao preço final, eheheh).

    Hoje vivemos também mais uma film experience na estrada quando um rapaz jovem e moreno num bruto BMW parou ao nosso lado no semáforo a meter conversa. No espaço fulminante de tempo entre o vermelho e o verde, ainda teve oportunidade de deixar a sua morada, mas depressa lhe perdemos o rasto… Acho que só faltaram mesmo os créditos com letras no final, LOL.

    No regresso a casa fui eu que “tomei as rédeas” do volante e recolhemos para os nossos aposentos onde nos encontramos agora, de copo na mão, a comemorar uma boa notícia do estágio do Pedro!

    Amanhã recomeço às 9h30.

     
    • Carmo Mendes 11:28 on 18/02/2009 Permalink | Responder

      E já passaram 10 dias hem? O tempo vai voar e tu nem vais dar por ele…
      Aproveita todos os segundos ao máximo …
      beijos

    • Telma 11:00 on 19/02/2009 Permalink | Responder

      Mas onde é que estão os gajos giros? É que ainda n vi um! (sem contar com o Pedro, mas ele não é americano :P)
      E isso é salsa dentro das bebidas? 😐
      E QUAL É A BOA NOTICIA DO ESTAGIO DO PEDRO?
      (não percam os proximos episodios)
      Estas a gostar do estagio? Estas a fazer o quê?

      10 DIAS? wow pensa que eram mais para ser sincera. já não sei viver sem ti… oooh triste sina 😛

      • Carlita 3:59 on 22/02/2009 Permalink | Responder

        LOOOOL, tão fofa… Tenho muitas saudades tuas, amiga…
        Os gaijos giros.. não são para “nós”, if you know what I mean 😉
        Dentro da bebida era hortelã-pimenta, sabe a menta e torna a bebida fresca 😛
        A boa notícia é que o Pedro vai mesmo trabalhar para a Armani =)
        Estou a gostar dos estágios, sim!!! Estou a fazer trabalho de consultoria como em Portugal, mas numa área mais alargada do que Relações Públicas pk aqui as RP estão juntas com Marketing e Publicidade 😛

        Continua desse lado 😉 Kisses

    • Nuno 15:33 on 19/02/2009 Permalink | Responder

      Conversa entre dois papagaios:
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!
      -Olá!

      • Carlita 3:57 on 22/02/2009 Permalink | Responder

        Ok.. essa foi uma maneira simpática de dizer que isto é só “blá blá blá” ????
        Ahahah, nada disso!
        Roger 😉 I’m not yet americanized 😛

    • Telma 12:12 on 22/02/2009 Permalink | Responder

      Os gajos giros não são p nós? Explica lá isso melhor!

    • Telma 12:12 on 22/02/2009 Permalink | Responder

      Ah! E parabéns ao Pedro! 😉

  • CarlaOliveira 8:07 on 17/02/2009 Permalink | Responder
    Tags: , Eat, , , Shopping   

    President’s Day 

    Hoje foi feriado em LA. Comemorou-se o President’s Day numa alusão aos presidentes George Washington, que nasceu a 22 de Fevereiro, e Abraham Lincoln, nascido a 12 de Fevereiro. Como em tudo nos EUA, cada estado reivindicou durante anos a celebração do “seu” presidente, ora Washington, ora Lincoln, ora outros, e a efeméride acabou por tomar nome consensual de “President’s Day” por questões comerciais nos anos 80, acabando por ser oficializado pelo Congress of the United States como um state holiday na terceira 2ª feira do mês de Fevereiro.

    Para ser sincera, não dei por nada desta celebração. O dia decorreu normalmente e, como não costumamos ver televisão aqui em casa, não notámos absolutamente nada de diferente (para além de uma pequena afluência de trânsito no regresso a casa de um fim-de-semana prolongado).

    Hoje foi dia de tomar decisões. Tivémos uma reunião com o Professor Gregory ao almoço e muitos novos projectos se avizinham… Meaning: work, work, work! Sobre os estágios, parece que também já estamos mais decididos. Quanto a mim, irei fazer dois estágios e não um e em princípio começo Terça-feira (“hoje”).

    Durante a tarde voltámos a Beverly Hills e no caminho de casa acabámos por tomar um expresso numa das únicas pastelarias portuguesas existentes em LA, o Natas Pastries, onde conhecemos a D. Fátima e uma outra portuguesa que vive em LA há quase 17 anos.

    Conclusões do dia de hoje?
    – Sopa de pacote pode ser hediondamente má. Cozinhar compensa;
    – Ir a uma pastelaria portuguesa em LA antes da hora do fecho pode resultar numa enorme frustração por não conseguirmos encontrar UM ÚNICO pastel de nata na montra;
    – Andar às compras, para os americanos, é também um momento propício ao engate;
    – Ir ao centro comercial em LA não é sinónimo de encontrar muitas lojas de roupa femininas, mas de encontrar tantas lojas de roupa femininas quanto masculinas (ou mais!);
    – Antes de fazer um pedido no restaurante, referir que é “non hot” ou “non spicy”, senão terão mesmo de pedir uma bebida das grandes para apagar o fogo interior;
    – Pagar o estacionamento num centro comercial em LA é sinónimo de amusement: para além de uma televisão com vídeos demonstrativos e promocionais, vão ter também música ambiente, máquinas de café e refrigerantes, meia-luz em tons quentes, smoke area and so on…
    – O ordenado mínimo na Califórnia estabelecido pelo Governador-negger é de mais de 8 USD à hora, o que poderá significar um amount de 1500 USD ao final do mês… o que faz da Califórnia um dos estados mais bem pagos dos EUA.

    Até breve!  Bjs***

     
    • adilia oliveira 16:14 on 17/02/2009 Permalink | Responder

      Ahah ! A D. Fátima teve olhinho 🙂 Aqueles pasteis de nata devem voar num ápice. Vão lá cedo se quiserem saborear o gostinho português. HUmmm. E claro…um cafezinho 😀
      E dizes dois estágios….Valente (escolhe bem..)Beijocas Bigs….e gosto de ficar a saber esses requisitos americanos. Continua…e quando fores ao C. C. quero uma (+++) coisa gira.;)Até breve ****

    • Hugo Garcia 22:22 on 17/02/2009 Permalink | Responder

      xiiii

      por 8 dólares à hora só um louco é que come sopa de pacote

  • CarlaOliveira 5:44 on 16/02/2009 Permalink | Responder
    Tags: Eat,   

    Eat in LA 

    Everybody asks me about how it is to eat in LA. I must say that a great part of it is like what we see in the movies: fast food, ready-made meals, and so on…

    It’s cheaper to eat this kind of food than to eat healthy, but if we know the right places to buy food and beverages and the right restaurants to go, then it would be just fine… but hell expensier too.

    So, the first thing you have to bear in mind is that everything is sweetened. The milk is sweet, the bread is sweet, the butter is sweet and oily and the vegetables taste like tap water. Lettuce is rough (you can only eat it sliced in Juliana) and the fish is unaffordable (two little pieces of frozen haddock may cost 15 USD!!!), not to say that they don’t have it fresh, only freeze.

    So, 3 days in LA were enough for me to decide to cook my own un-sweetened bread at home and to look for other supermarkets. We found one that states for “heathy and organic food”, it’s kinda Hippie, what is just great, oh, and not that so expensive at all!!! (They have those cute paper bags to carry our goods, awesome)

     About the meals we cooked at home, I’m leaving you a recipe that Mafalda and Pedro liked a lot. I just invented it myself, but I think it worked out quite good:

    Tofu Wraps à moda da Carla

    You’ll need: 2 garlic teeth; garlic in powder; 1 ognion; 1 red pepper; 2 carrots; 1 tofu box; fresh sliced mushrooms; mixed salad (lettuce, purple lettuce and rucula); shredded emmental cheese; shredded flamenco cheese and olive oil q.b.; salt; pepper. 4 “liefs” of wrap

    How to cook it: Refogar a cebola com o alho e os pimentos cortadinhos até a cebola ficar esbranquiçada e cheirar bem =) Adicionar os cogumelos e a cenoura ralada e deixar refogar. Desfazer o tofu (eu usei o escorredor e um garfo, LOL) e adicionar ao refogado. Temperar e deixar cozinhar durante uns minutos. Dispor as folhas do wrap na bancada, colocar a salada por cima, depois o queijo ralado e o recheio de tofu e mais queijo. Enrolar. Depois de armados, polivilhar com queijo ralado e alho em pó e levar ao forno a gratinar.

    That’s all for now. Have a nice meal and see you soon.

    img_1264

     
    • Telma 9:35 on 16/02/2009 Permalink | Responder

      torturing ppl outhere hehe did u know everythign u cook there u will have to cook here for ur friends misss u

  • CarlaOliveira 8:10 on 11/02/2009 Permalink | Responder
    Tags: , Eat, ,   

    Um dia cheio 

    Daddy’s Birthday
    O meu pai fez anos hoje. Foi um bocadinho estranho ter enviado os Parabéns daqui no dia “anterior”… afinal era noite de Terça-feira em LA quando já amanhecia para a efeméride em Portugal. Parabéns, pai!!! Espero que este dia tenha sido tão fantástico como se eu estivesse aí para “tchin-tchar” contigo aos fabulásticos anos de vida que fazem de ti a pessoa tão admirável que és para mim.
     
    Bank trip
    E assim começou o meu dia que adjectivo como “pleno de emoções”. De manhã fizemos uma visita ao banco onde queríamos abrir uma conta. Foi-nos recusado termos um cartão por tão pouco tempo e por tão “pouco” dinheiro, mas divertido mesmo foi terem-nos perguntado se havia bancos em Portugal e se tínhamos uma conta para movimentar, LOL. Valeu-nos uma bela gargalhada sobrancedeira de ironia, meia volta e um “see you, then!”.
    Havemos de arranjar outra solução para este país onde não aceitam notas de 100 dólares, nos pedem “mais pequeno” quando damos 20 dólares e onde as moedas são meros adereços que não servem para absolutamente nada senão encher a carteira.
     
    Entrevista I
    Depois tivémos uma entrevista numa empresa de entertainment. Mais uma vez, apresentaram-nos um “ready-made project”, como se fosse um internship.exe a que só basta fazer RUN. Está tudo bastante organizado: primeiro trabalharíamos em produção, depois em desenvolvimento e research, depois outras funções em equipa e assim por diante. Foram muito símpáticos e tivemos a entrevista em conjunto. Na verdade, a área online parece ainda não estar a ser desenvolvida internamente nas empresas, mas ser mais um tipo de outsourcing que se encomenda a empresas especializadas. A rapariga que nos entrevistou tinha menos de 30 anos e uma fluência verbal invejável. Gostei, mas ainda não foi desta que decidimos!
     
    Lunch “bleak”
    O almoço foi num género de restaurante chinês onde se comem meias doses que dão para um regimento inteiro de pessoas. Ah, e esqueçam os 250ml ou 33cl de bebida. Aqui é tudo Extra Large e, sim, eles perguntam sempre se não queremos comprar um tamanho acima (tal como era descrito no Super-size-me) e, pelo que percebi, a taxa de “sins” de resposta é considerável… Só não entendo é porque é que os americanos não pedem logo o XL à partida. Enfim… Ahh, esperem, ainda sobre o restaurante, eles aqui não usam “pauzinhos” para comer comida chinesa, comem os crepes à mão (que molham directamente no molho) e só com um garfo. Quando lhes pedimos uma knife fizeram um ar estranhíssimo ao que o Pedro comentou: “At least it was in an exquisite way”. E eu pensei, tão chique ir a um comer ao chinês e depois pedir uma faca!!!
     
    Coffee Spot
    O next stop foi o The Coffee Beans, uma rede muito comum por aqui onde até se bebe bom café e se encontram copos menores que 500ml de café, LOL. Só falta mesmo serem servidos em chávenas de loiça e não de plástico ou papel, mas não se pode ter tudo, é bem bom até! Ah, e para o Hugo, que me pediu para monitorizar ideias de mercado, vendem lá cartões de oferta que se abastecem com X dólares e oferecem de presente. Sâo válidos em todos os cafés da rede e são muito fashion! Vêm com um cartão de dedicatórias e tudo. Depois a pressoa só tem de “pagar” a sua despesa com o plafond do cartão de oferta. Giro, hein?! Ah, e têm também uma espécie de cartões que se põem em torno do copo para pegar nos copos sem queimar as mãos em bebidas quentes… Coisas que não tinha visto ainda em terras lusas,..
    Mas vamos a coisas mais interessantes! Durante a tarde andámos a passear pela cidade em busca de lojas de telemóveis, rent-a-cars e afins enquanto não íamos à próxima entrevista e eis senão quando…
     
    The Nightmare Interview
    Ahah, que episódio de entrevista! Quem nos atendeu foi uma americana daquelas loiras assertivas com uma falsa modéstia de cultura geral e óculos pendurados na ponta do nariz rezingão. Ar sobranceiro, postura dengosa, mas um curriculo de PR de mais de 25 anos de experiência. Foi a primeira agência exclusivamente de PR a que fomos. Trabalham a área de entertainment, muito celebrity endorsment e product placement e outros nomes que tais em inglês para dar estilo e parecer importante. Vivem e regozijam-se na film industry que enche a barriga dos profissionais que trabalham em LA. Não vou entrar em pormenores, mas deixo-vos as highlights que valem a pena:
    – Portugal não é um país, mas uma coisa amálgama qualquer ao pé de Espanha certainly important para enviar interns para lá;
    – “Quantos milhões de pessoas vivem em Lisboa?”
    – “Fizemos o dia” da nossa entrevistadora por termos um accent diferente do americano. A minha maneira de dizer “aviation” deve ter sido tão estranha que tive de repetir umas 3 vezes até ser entendida;
    – A Internet não é o futuro;
    – Do you know YYYYY” ? No?! So what do you know?! Soccer! Oh, so do you understand if I say say David Beckam?
    – Se já têm um trabalho em Portugal, então o que vieram para aqui fazer?!
    – And so on…
     
    Fora de brincadeiras, a senhora foi muito dura na sua postura mas também muito interessada no nosso historial. Perguntou-nos tudo sobre onde já trabalhámos, o que fizémos, as nossas tarefas, clientes, tudo. À parte do olhar sobranceiro, demonstrou um grande interesse. Acho que lhe serviu bem de perquisa de mercado e nós os três não deixámos Portugal ficar mal no mapa. O nosso Pedrocas ajudou imenso com a sua destreza verbal e trunfos de manga e eu tentei manter os galões com os parcos 23 anitos para já estar em LA num master. A Mafalda impressionou com a descrição do que é trabalhar com políticos num City Hall. No final de contas, o dia de hoje deve ter sido enriquecedor.
     
    Bem, hoje fartei-me de divagar, mas tinha de responder às vossas solicitações. Obrigada por estarem desse lado!
     
    Kissess
     
     
     
    PS – Ahh, ontem ainda fomos conhecer o gym. Parece que workout-de-meia-noite é mais coisa de homens, mas nada que uma boa dose de descontracção não elimine em menos de 5 Km de passadeira, lol. O jacuzzi fica para outro dia!
     
    • Carmo Mendes 12:58 on 11/02/2009 Permalink | Responder

      Hello…Hello…

      Realmente isso é que foi um dia. Mas vale bem a pena não? Afinal as diferenças são sempre bem vindas…o que interessa mesmo é conhecer formas, culturas e posturas diferentes da nossa. Aí é que está a piada de viajar. A parte do Portugal e quem são os portugueses é que me parece assuatadora..mas vocês vão conseguir diminuir, pelo menos, essa ignorância.
      beijocas

    • Nuno 13:26 on 11/02/2009 Permalink | Responder

      Mais um dia “à Americana”, estou a ver… 😛

      Lisboa tem 3 milhões de habitantes, são só uns milhõezitos a menos que LA 😀
      Somos menos, mas de certeza que sabemos que o David Beckham é o marido da Victoria Beckham 😀

      Comer comida chinesa com faca?? Que animais….

      Por aqui anda tudo na mesma… o Rui Patrício lesionou-se no dedo mínimo da mão esquerda e tem de usar uma luva especial, a Igreja apela a não votar PS (devido à proposta de casamentos homossexuais), … enfim, tudo na mesma 🙂

      Aguardamos mais notícias da mais recente novela “amaricana” 😉

      Kisses

    • Sandra Bessa 15:06 on 11/02/2009 Permalink | Responder

      Mas que “Novela”.
      Acho que a “american life” devia vir fazer um estágio a Portugal (País, independente de Espanha).

      Mas estou a ver que não nos deixaram mal. eu sabia!!

      Continuem com MUITA FORÇA! Estamos TODOS a torcer por vocês!!

      😀

c
Compose new post
j
Next post/Next comment
k
Previous post/Previous comment
r
Responder
e
Editar
o
Show/Hide comments
t
Go to top
l
Go to login
h
Show/Hide help
shift + esc
Cancelar