Se tivesse chamado a esta página Relações Públicas ou Public Relations, provavelmente ninguém iria clicar para ver o que cá tinha.

De facto, as Relações Públicas têm esse Karma: ninguém lhes dá o devido valor porque são entendidas erroneamente, como se não tivessem capitulares.

– relações públicas são os enrolanços entre as pessoas que são conhecidas na praça pública.

  • Os relações públicas são os tipos à porta da discoteca que decidem quem, de entre os elementos do público, entra ou não entra no estabelecimento.
  • As relações públicas são as pessoas conhecidas na praça pública que, graças ao seu reconhecimento pelos outros e aos seus conhecimentos entre as restantes “pessoas conhecidas”, fazem vida disso gerindo esses relacionamentos entre si, os outros e a comunidade mediática.

Finalmente, Relações Públicas é uma disciplina da Comunicação que (supostamente) gere as relações de uma pessoa ou organização com os seus vários públicos.

E é por todos estes equívocos que a fofoquice do croquete acabou por se tornar mais interessante do que o que a actividade previa e ambicionava de início.

Falácia linguística ou não, a verdade é que o termo ficou cunhado nas bocas do mundo de uma forma e na Comunicação de outra forma completamente distinta. E assim têm de conviver.

Teremos oportunidade de distinguir entre o croquete, o críquete e a criação e manutenção de relações entre os vários públicos de uma pessoa/organização.

🙂

Para lá da fechadura...

Anúncios