O esfregão em forma de alho-porro

Apeteceu-me escrever algo gritantemente parvo e inútil. Para tópico resolvi falar-vos das pequenas coisas que me acompanham no dia-a-dia dos meus estágios. Não, nada de Relações Públicas e mundo Online! Mas sim das instalações e todas aquelas pequenas coisas em que ninguém repara e que ninguém nunca ousaria postar num blogue.

Well, anyone but me.

I

Como seria de esperar, na América os edifícios são propriedade privada e têm uma exploração empresarial. Isto é, não se admirem se virem uma placa à entrada a dizer: “BEM VINDOS AOS EDIFÍCIOS MAIS QUALQUER-COISA DO MUNDO, TENHA UMA BOA VISITA”, ou “Estamos aqui para vos servir” ou “Exmo sr. visitante dos edifícios XXXX, certifique-se que estacionou o seu veículo como deve ser”.Credo, porque é que têm de ser tão chatos???

II

O estacionamento é outro negócio que ainda não percebi se é privado ou se é um complot com os que exploram os edifícios. Estes, por sua vez, exploram os mexicanos. Ai, não era suposto eu dizer estas coisas…  Mas é tão bom ouvir um “Ola, buenos dias” quando o nosso dia começa. E não é uma vez, mas muitas porque cada piso do estacionamento emprega uns 4 ou 5 pessoas. Agora perguntem: tantos para quê? Bem, um tira o ticket da máquina, outro controla, outro limpa o chão, outro indica o lugar de estacionamento e as manobras, outro abre e fecha as portas e outro faz qualquer coisa que ninguém sabe bem o quê mas que deve ser importante.

III

Cada edifício tem muitos escritórios onde se encontram várias empresas. Depois, em cada piso há uma common area onde os “habitantes desse piso” podem estar [em comum 😉 ]. É como se fosse um apartamento em que cada empresa mora numa divisão diferente… Uma dessas áreas é a cozinha onde todos podem ir.

IV

Na cozinha têm sempre café (daquele de saco) de um ou vários sabores. Sim, o café aqui tem sabor dos mais estranhos que possam imaginar. Eu o e Pedro chamamos-lhe “Café do Biscoito” não só porque esse sabor existe mesmo e foi o primeiro que experimentámos, mas também porque quando molhamos os biscoitos no café ele fica com aquele tipo de sabores estranhos que eles cá têm, por excelência. É um grande mercado! Então, café de baunilha, café de avelãs com caramelo, café de frutos silvestres e natas… God, não há explicação! Para quem AMA café como eu, é o verdadeiro terror entrar na cozinha e cheirar doces de criança e pensar que um trago de café me irá deixar a saudade de um bom Delta e que precisarei de um shot de cafeína para aguentar as pálpebras em pé.

Para além do café, temos ainda chás, microondas, frigorífico, dispensador de água e lava-loiça. Mas, sinceramente, não sei para quê o lava-loiça quando eles só usam recipientes descartáveis. Enfim… de todo o modo, houve um acessório que achei particularmente fantástico por ter uma forma tão peculiar: a esponja da loiça em forma de alho-porro! Como é que uma coisa consegue ser simultaneamente tão fofa e ridícula?!

Anúncios